segunda-feira, 15 de julho de 2013

As Raízes Históricas do Liberalismo Teológico


O Artigo As Raízes Históricas do Liberalismo Teológico (FIDES REFORMATA X, Nº 1 (2005): 79-99) de José Roberto da Silva Constanza, trata a respeito desse movimento e aponta o Racionalismo do século XVII como sua origem.

O artigo foi dividido em três seções, sendo que na primeira seção o autor discorre sobre o início do Racionalismo no final do século XVI e início do século XVII, e de outros movimentos como o Deísmo e o Iluminismo, desencadeados a partir do pensamento Racionalista, elencando seus principais vultos. São apontados nomes como o de Mathew Tindal e Hermann Reimarus, cuja obra marca o rompimento definitivo do liberalismo com a ortodoxia, ao afirmar que o cristianismo se baseia nas alegações fraudulentas da ressurreição e da segunda vinda de Jesus.

Na segunda seção, Constanza estabelece uma relação entre o Romantismo e o Modernismo considerando-os uma só fase do movimento teológico liberal. Destaque aí para Friedrich Schleiermacher, considerado o pai da teologia moderna, que rejeitou as doutrinas da queda e do pecado original, bem como do nascimento virginal, ressurreição, ascensão e segunda vinda de Cristo. 

E na terceira e última seção, encontramos as conclusões do autor, que, mostra que o liberalismo foi um grande mal para o cristianismo. O primeiro representa a fé na humanidade, enquanto que o segundo, a fé em Deus.

Recomendo a leitura desse artigo, pois ele esclarece pontos importantes que de alguma forma resultaram em mudanças consideráveis na igreja protestante ao longo de quase três séculos. Sua leitura nos leva a compreender que a partir do movimento Racionalista, o ser humano passou a distanciar-se ainda mais de Deus enveredando pelas trilhas do seu próprio pensamento.


Carlos Barros

0 comentários :

Postar um comentário

Comente essa Postagem | Seu comentário será publicado após moderação.